25/05/2024
Início » Bolsonaro diz que dinheiro do Mais Médicos ia para Fidel

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta segunda-feira (18) que 80% dos salários dos profissionais cubanos do Mais Médicos iam para Fidel Castro. Além disso, comparou o trabalho no programa à escravidão e declarou que o líder cubano foi para um “lugar bastante quente” depois que morreu, em 2016.

“Esse era o programa no passado, o Mais Médicos, do PT. Um serviço que escravizava os nossos irmãos cubanos e não atendia a população. Não sabiam absolutamente nada de medicina. Nada. E a gente sabe, muitas vezes, as pessoas humildes é só você tratar bem a pessoa ela já fica satisfeita”,

disse Bolsonaro.

Em evento para anunciar os primeiros contratados do Médicos pelo Brasil, anunciado em 2019 e sucessor do Mais Médicos, Bolsonaro disse que os médicos cubanos tinham que seguir ordens para manter os familiares seguros.

“Seus familiares ficavam em Cuba e se eles não cumprissem aquilo determinado os seus familiares lá sofriam. E o apoio do PT e lamentavelmente da base do governo foi praticamente unânime para que ficassem aqui como se escravos fossem”,

disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *