28/05/2024
Início » “Que as autoridades apurem o ocorrido”, diz Bolsonaro após crime com tesoureiro do PT

O presidente Jair Bolsonaro (PL) solicitou que as autoridades “apurem seriamente o ocorrido e tomem todas as providências cabíveis, assim como contra caluniadores que agem como urubus para tentar nos prejudicar ‘24 hora’ [sic] por dia”.

A declaração ocorre depois da morte do tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Marcelo Aloizio de Arruda, de 50 anos, morreu na madrugada deste domingo (10) após ser baleado na própria festa de aniversário. De acordo com o boletim de ocorrências, os disparos foram feitos pelo policial penal Jorge José da Rocha Garanho, que também foi atingido por disparos de tiros.

Por meio do Twitter, Bolsonaro republicou uma postagem de 2018, dizendo que dispensa “qualquer tipo de apoio de quem pratica violência contra opositores”.

“A esse tipo de gente, peço que por coerência mude de lado e apoie a esquerda, que acumula um histórico inegável de episódios violentos”,

escreveu o presidente.

“É o lado de lá que dá facada, que cospe, que destrói patrimônio, que solta rojão em cinegrafista, que protege terroristas internacionais, que desumaniza pessoas com rótulos e pede fogo nelas, que invade fazendas e mata animais, que empurra um senhor num caminhão em movimento”,

acrescentou.

Além do mandatário, outros pré-candidatos à Presidência da República também se manifestaram pelas redes sociais lamentando o crime contra Marcelo Aloizio de Arruda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *