27/02/2024
Início » Com resultado da auditoria argentina, manifestantes de Manaus cobram respostas do TSE

O resultado da auditoria argentina desta sexta-feira (4), levou manifestantes de todo o país para as ruas no intuito de obter respostas do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), presidido pelo ministro Alexandre de Moraes. Na capital amazonense, os patriotas estão em manifestação pacífica desde o dia 1º de novembro.

O relatório de auditoria privada apontou algumas anomalias no resultado das eleições de 2022 no Brasil. A auditoria foi realizada na Argentina, segundo o próprio apresentador, “por ordem do Tribunal Supremo Eeleitoral (TSE), que determinou que nenhum meio de comunicação ou grupo privado de pessoas no Brasil poderia divulgar informações que ponham em dúvida o resultado eleitoral deste ano”.

Dentre as informações, a que mais chamou a atenção dos internautas, está a de que as urnas a partir de 2020 não apresentaram problemas, pois são auditadas. No entanto, máquinas anteriores a 2020 teriam aumentado em até 9,8% de votos a favor do número 13, ou seja, a favor de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Além disso, há várias urnas anteriores a 2020 com até 0 votos para o número 22, do atual presidente Jair Bolsonaro, indicou a auditoria.

Além dessas informações, a auditoria trouxe várias outras que deixaram internautas e eleitores brasileiros assustados e preocupados. Diante disso, o assunto se tornou o mais comentado das redes sociais na noite desta sexta-feira (4).

Os manifestantes de Manaus, que estão nas ruas desde após o resultado das eleições que elegeu o ex-presidiário Lula (PT) como novo presidente, agora cobram respostas ao TSE, que inclusive, teve o site fora do ar após a bomba revelada.

A auditoria argentina ainda vai repercutir bastante na mídia nacional e internacional pelos próximos dias, e qualquer nova informação, o Portal e TV CM7 Brasil vai trazer em primeira mão ao povo brasileiro.

As informações são do Portal CM7.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *