27/02/2024
Início » Investimento estrangeiro no setor produtivo surpreende e é o maior desde 2011

O investimento estrangeiro no setor produtivo do Brasil voltou a surpreender. O saldo entre ingressos e saídas do chamado Investimento Direto no País (IDP) foi de US$ 9,2 bilhões em setembro, o maior desde abril (US$ 11,1 bilhões), segundo relatório publicado na segunda-feira (24) pelo Banco Central. O valor veio bem acima do teto das estimativas do mercado para o mês, de US$ 5,7 bilhões, conforme o Projeções Broadcast.

Segundo o Banco Central, o saldo de setembro é resultado de ingressos líquidos de US$ 3,4 bilhões em participação no capital (quando uma empresa estrangeira abre uma filial aqui ou se torna sócia de uma companhia local) e de US$ 5,7 bilhões em operações intercompanhia (empréstimos de matriz para filial, por exemplo).

Com isso, o investimento estrangeiro acumulado de janeiro a setembro foi de US$ 70,7 bilhões, o maior valor para esse período do ano desde 2011 (US$ 77,8 bilhões). Na comparação com os nove primeiros meses de 2021 (US$ 43,3 bilhões), o IDP aumentou 63%.

O saldo dos nove primeiros meses já supera o montante que o Banco Central esperava para o ano todo. No fim de setembro, já reagindo aos dados positivos dos meses anteriores, a autoridade monetária havia revisado sua estimativa de IDP para 2022 de US$ 55 bilhões para US$ 70 bilhões.

Ainda segundo o BC, em 12 meses os estrangeiros investiram US$ 73,8 bilhões no setor produtivo brasileiro, o que equivale a 4,1% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. São as maiores marcas acumuladas em 12 meses desde agosto de 2019 (US$ 77 bilhões, ou 4,11% do PIB).

Reportagem publicada pela Gazeta do Povo em setembro elencou fatores que, segundo especialistas, explicam o aumento do interesse estrangeiro em aplicar dinheiro no Brasil, tanto em carteira (ações e títulos) quanto no setor produtivo:

  • O país foi um dos primeiros a reagir à alta da inflação mundial, aumentando a taxa de juros, que tem perspectiva de queda a partir de 2023;
  • O Brasil tem ativos com valores atraentes e grande exposição a setores que os investidores querem;
  • O cenário econômico é delicado em alguns países que disputam o capital estrangeiro com o Brasil, como Argentina, Rússia e Turquia;
  • Os riscos geopolíticos no exterior, como a guerra entre Rússia e Ucrânia; e
  • O risco de recessão em algumas das principais economias mundiais, que ainda estão elevando juros para combater a inflação.

Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/economia/investimento-estrangeiro-no-setor-produtivo-surpreende-e-e-o-maior-desde-2011/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *